Alimentos Orgânicos: da segurança alimentar a sustentabilidade

Postado em Postado em Uncategorized

O mercado de produtos orgânicos está aumentando em todo o mundo, inclusive nos lares brasileiros. Isso porque, o consumidor está buscando mais do que segurança alimentar, ele está preocupado com a sustentabilidade.

Primeiramente, o que são alimentos orgânicos?

Alimentos orgânicos são aqueles alimentos que utilizam, em toda sua produção, técnicas que respeitam o meio ambiente e visam a qualidade do alimento. Ou seja, não utilizam agrotóxicos sintéticos, transgênicos ou fertilizantes químicos. Dessa forma, diminui as chances que possa vir a causar algum dano à saúde dos consumidores.

E por quê consumi-los?

Existem algumas hipóteses que sugerem que o alimento orgânico apresenta maior conteúdo de micronutrientes (vitaminas e minerais) e, principalmente, compostos bioativos – composto que tem efeito sobre um organismo vivo, tecido ou célula – (polifenóis, carotenoides, glicosinolatos…).
Mas, que hipóteses?
A primeira: supõe que o uso de fertilizantes sintéticos (utilizados na agricultura convencional) levaria a uma oferta maior de nitrogênio à planta, acelerando o seu desenvolvimento e crescimento, interferindo diretamente no seu metabolismo.
Como resultado, os alimentos com esse tipo de tratamento teriam um menor tempo de maturação e resultariam em maior volume, gerando diluição de nutrientes (menor tempo para sintetizá-los e maior conteúdo de água).
A segunda: baseia-se na resposta da planta a situações de estresse, como insetos, microorganismos, luz solar, temperatura… Logo, com a ausência de pesticidas químicos, os alimentos seriam estimulados a produzir substâncias de defesa, como muitos dos compostos bioativos que hoje conhecemos.

Segundo, por quê investir na produção orgânica?

O sistema orgânico de produção tem como finalidades principais:
– a oferta de produtos saudáveis isentos de contaminantes intencionais;
– a preservação da diversidade biológica dos ecossistemas naturais e a recomposição ou incremento da diversidade biológica dos ecossistemas modificados em que se insere o sistema de produção;
– incrementar a atividade biológica do solo;
– promover o uso saudável do solo, da água e do ar, e reduzir ao mínimo todas as formas de contaminação desses elementos que possam resultar das práticas agrícolas;
– manter ou incrementar a fertilidade do solo ao longo prazo;
– a reciclagem de resíduos de origem orgânica, reduzindo ao mínimo o emprego dos recursos renováveis e em sistemas agrícolas organizados localmente;
– manipular os produtos agrícolas com base no uso de métodos de elaboração cuidadosos, com o propósito de manter a integridade orgânica e as qualidades vitais do produto em todas as etapas.

A produção orgânica busca alcançar auto sustentabilidade, maximizar benefícios sociais e minimizar a dependência por energia não renovável.

Saiba a diferença: produção convencional X produção orgânica

Atualmente, um dos principais questionamentos acerca dos diferentes tipos de produção agrícola diz respeito à sustentabilidade, ou seja, capacidade de conservar e melhorar os recursos produtivos, como solo, água, ar e biodiversidade, com a finalidade de atingir uma produção adequada de alimentos para gerações futuras.
Conheças as diferenças:

 

SISTEMA DE PRODUÇÃO

Práticas

Convencional

Orgânico

Preparação do solo

Intenso revolvimento do solo considerado apenas como suporte para as plantas

Pouco revolvimento do solo que é visto como um organismo vivo.

Adubação

Uso de adubos químicos altamente solúveis

Uso de adubos orgânicos. Não usa adubos químicos.

Controle de pragas e doenças

Uso de produtos químicos (agrotóxicos)

À base de medidas preventivas e produtos naturais. Sem agrotóxicos.

Controle do mato

Uso de herbicidas; o “mato” é considerado como uma erva daninha.

O controle é preventivo manual e mecânico

Consequências ao meio ambiente

Poluição das águas e degradação do solo

Preservação do solo e das fontes de água

*Fonte: Sociedade Nacional de Agricultura (SNA).

Depois de conhecer um pouco sobre o que são orgânicos e o porquê do seu boom de consumo, você pode saber mais em diversos sites e em feiras orgânicas, como a Natural Tech ou a Bio Brazil Fair/Biofach América Latina.

Mariana Tararam
Mariana Tararam
Estudante de Engenharia de Alimentos. Atualmente trabalha como Coordenadora de Marketing digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *